Goiânia é uma capital que não destaca-se apenas por sua beleza natural, mas também por ser um verdadeiro tesouro arquitetônico do movimento art déco. Em 2003, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) tombou 22 edifícios e monumentos públicos, solidificando o status da cidade como um berço desse estilo artístico.

O conjunto urbano de Goiânia, fruto do planejamento visionário do político Pedro Ludovico Teixeira e do urbanista Attílio Corrêa Lima, é uma verdadeira viagem no tempo. Entre essas joias arquitetônicas, destacam-se o imponente Cine Teatro Goiânia e a icônica Torre do Relógio, erguida em 1942 na Avenida Goiás.

Fundada na década de 1930, Goiânia foi planejada como a nova capital do estado, e o estilo art déco permeou os primeiros prédios, erguidos entre as décadas de 1940 e 1950. O urbanista Attílio Corrêa Lima e o arquiteto Armando de Godoy deram vida ao projeto, inspirados na teoria das cidades-jardim do urbanista inglês Ebenezer Howard.

Tombada pelo Iphan em dezembro de 2002, a Praça Cívica, considerada o coração do traçado urbano de Goiânia, é o principal elemento desse legado art déco, ela abriga 12 bens do chamado Conjunto da Praça Cívica, que inclui edifícios institucionais e mobiliário urbano. Ele é formado pelo coreto, fontes luminosas, obeliscos com luminárias, Fórum e Tribunal de Justiça (atual Secretaria de Desenvolvimento Social), Departamento Estadual de Informação (atual Museu Zoroastro Artiaga), Palácio das Esmeraldas, Delegacia Fiscal (sede do Iphan/GO), Chefatura de Polícia (atual Secretaria-geral de Governo), Secretaria-Geral (atual Centro Cultural Marieta Telles) e Tribunal Regional Eleitoral, Residência de Pedro Ludovico (atual Museu Pedro Ludovico) e a Torre do Relógio. Estes dois últimos não se encontram diretamente na Praça, mas em sua poligonal de entorno.

Diante de um acervo tão grandioso, a Elysium Sociedade Cultural tem o privilégio de ter sua sede em Goiânia, e trabalhar diretamente contribuindo para a preservação e a promoção da riqueza cultural da região.

Confira a lista completa de bens tombados pelo Iphan em Goiânia: 

a) Estação Ferroviária de Goiânia;
b) Mureta e Trampolim do Lago das Rosas (Setor Oeste);
c) Antigo Grande Hotel (Av. Goiás, Centro);
d) Antigo Palace Hotel (atual Biblioteca Cora Coralina, localizada no Bairro Campinas);
e) Antiga Subprefeitura e Fórum de Campinas (Av. Alberto Miguel c/ R. José Hermano, Bairro Campinas);
f) Antiga Escola Técnica de Goiânia (atual Câmpus Goiânia do Instituto Federal de Goiás);
g) Colégio Estadual Lyceu de Goiânia (R. 21, Centro);
h) Teatro Goiânia (Av. Tocantins c/ R. 23, Centro);
i) Traçado Viário dos Núcleos Urbanos Pioneiros;
j) Conjunto da Praça Cívica, composto por: coreto, fontes luminosas, obeliscos com luminárias, Fórum e Tribunal de Justiça, Departamento Estadual de Informação (atual Museu Zoroastro Artiaga), Palácio das Esmeraldas, Delegacia Fiscal (atual sede do Iphan-GO), Chefatura de Polícia, Secretaria-Geral (atual Centro Cultural Marieta Telles), Tribunal Regional Eleitoral, Residência de Pedro Ludovico (atual Museu Pedro Ludovico, localizado na R. Dona Gercina Borges Teixeira c/ Rua 25) e Torre do Relógio (localizada na Av. Goiás).

Fotos: Flávio Isaac, Geraldo Gomes, Convention Bureau Goiânia

Postagens Recomendadas